REGIMENTO DE LANCEIROS Nº 2
CARO VISITANTE,CARO MEMBRO,DESDE JÁ LHE DAMOS AS BOAS VINDAS A ESTE SITE DE HOMENAGEM A UM DOS MAIS CARISMÁTICOS REGIMENTOS DO EXÉRCITO PORTUGUÊS:O REGIMENTO DE LANCEIROS Nº2 E A TODOS OS LANCEIROS POLICIA MILITAR/POLICIA DO EXÉRCITO,CAVALEIROS ESPERANDO QUE O MESMO SEJA DO SEU AGRADO.

SEJA BEM VINDO:

REGIMENTO DE LANCEIROS Nº 2

FORÚM NÃO OFICIAL DE HOMENAGEM A UM DOS MAIS CARISMÁTICOS REGIMENTOS DO EXÉRCITO PORTUGUÊS E A TODOS OS LANCEIROS PM/PE E CAVALEIROS DO EXÉRCITO PORTUGUÊS.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Homenagem a um grande homem

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1default Homenagem a um grande homem em Qua Out 28, 2009 11:19 pm

N.Esteves

avatar
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR
Neste tópico venho prestar a minha homenagem a um grande comandante de homens.Os textos são transcritos do site http://www.lanceiros.web.pt e são o resultado de uma troca de mails entre mim e esse grande homem que é o Tenente Coronel Rui Seiça.

Tcor Rui Seiça:
Boas, camarada
Hoje em conversa com o Chalante (1SAR) tive o prazer e reconhecida honra em conhecer e observar o teu site (dirigindo-se ao nosso camarada Bolacha,criador do http://www.lanceiros.web.pt) , embora com limitadas possibilidades, visto que, a internet que tenho acesso (a do meu gabinete) não disponibiliza o acesso ao livro de visitas. Infelizmente, não tenho internet própria mas pelo que o Chalante me contou só posso estar imensamente satisfeito pelo teu esforço em perdurar a chama da PE. Sem excepção, os que também, naquele espaço deixam os seus contributos.Pois, a minha passagem por Lanceiros está agora a chegar ao fim, embora esteja cá há dois anos.Mas é impossível experimentar e descrever o orgulho que sinto em servir esta Unidade. Obviamente indissociáveis estão todos os homens e mulheres que tive sob o meu comando. Estou certo que todos procuraram e procuram cumprir a missão. Todavia, a máxima que imponho a mim próprio e aos que servem sob o meu comando é que devemos cumprir a missão, para sermos perfeitos. E por fim, como digo sempre, cumpri-la até “Cuspir Sangue”.Adorava conseguir entrar no Livro de Visitas para revolver as memórias de todos aqueles que tive a Honra de privar e assim penetrar no interior das férreas tradições de Lanceiros, para ai recordar e comentar os velhos e novos tempos. Sei que vivemos algo diferente quando fazemos isso. No fundo é sentirmo-nos vivos.
Morte ou Glória
Passa a mensagem
Rui Seiça
13Mar09

Nuno Esteves:
Boa tarde meu Tenente Coronel.
Venho por este email,expressar o orgulho e a honra de ter sido comandado por si no ano ido de 1994,ainda o senhor era Tenente.Fui incorporado no 1ºTurno de 94,no 2ºE.I pertencendo ao 4ºPelotão,sendo os comandantes de pelotão na altura o Aspirante Peneda e o 2ºFurriel Correia.Das coisas que me lembro com saudade,uma delas foi passada no refeitório das Legendas onde era 6ª feira e o Esquadrão estava reunido (perto de 200 homens) e o meu Tenente Coronel sai-se com uma e passo a citar:"vejo aqui 200 boinas pretas de elite,mas tambem vejo aqui doze cabeças de m...".O sr estava-se a referir aos doze paraquedistas que estavam a tirar a nossa Especialidade e que tinham os seus alojamentos no nosso Esquadrão.Recordo tambem com saudade,os dias de chegada de novos recrutas,em que o senhor dizia "recos,já lhes sinto o cheiro sinto que vou ter um orgasmo".Recordo tambem um episódio passado em Santa Margarida,em que fomos fazer escolta ou um exercicio (não sei precisar muito bem) e o meu Tenente Coronel (que salvo erro,estava destacado no RC4) viu as boinas pretas com as Lanças e o "2" e nos fez uma grande festa rematada com as palavras "os meus meninos".Tambem terei episódios porventura menos agradáveis a recordar como na noite anterior ao Juramento de Bandeira em que o meu Tenente Coronel estava de oficial de dia ao Regimento e nos formou no pavilhão até altas horas da noite, para ensaiar-mos ordem unida enquanto o 3ºE.I dormia a bom dormir mas passados todos estes anos reconheço que a sua dureza para connosco era simplesmente para nosso bem.Agradeço os seus ensinamentos pois fizeram de mim uma pessoa mais responsável,mais cumpridora,que aprendeu a estimar a camaradagem e a amizade,compreender o espirito de corpo e de sacrificio,em suma,a ser um cidadão mais integro,exigente comigo próprio e com os que lidam comigo.Espero que não tenha levado a mal o envio deste meu email (vi a sua morada de mail no site PE) mas tinha que lhe expressar o meu agradecimento.
Um bem haja.

resposta do TCor Rui Seiça:
Olá Esteves
Pois recordar é viver! As tuas palavras fazem-me ir ao encontro de vivências muito caras para mim, porque elas me motivam, e superam hoje os valores desgastados, que outrora eram particularmente vividos com intensidade.
Esteves peço-te que coloques esta tua resposta no fórum, visto que, merecem ser recordadas por muitas gerações que formaram nas fileiras dos EI e EPE, naqueles tempos.Como deves imaginar escangalhei a rir …Sabes que mandava aquelas larachas, para vos incentivar e saberem que eram e somos especiais. Obviamente que não consegui ir-vos ao tutano, mas deveria ir sempre, …..Porque ser Polícia do Exército é cumprir a missão, até cuspir sangue.È uma honra ter contribuído para a formação moral de cada um de vocês. Pena que não tivesse tido mais tempo, com a malta, porque então poderiam dizer que fomos Deus…. na terra dos infortunados que não vêem a Luz das Boinas negras, resplandecentes da Polícia Militar. Como podes ver, continuo na mesma.
Esteves, fiquei muito feliz, vamos trocando memórias e quiçá um dia possamos voltar a encontrar e rimo-nos de todos mais velhos agora, mas jovens e íntegros por um passado que devemos nos orgulhar. Bem hajas amigo
Morte …….aos impuros
Glória ……Aos PE…

Minha resposta:
Bom dia meu Tenente Coronel.
Fiquei um pouco surpreso com a sua resposta ao meu email,pois sinceramente não pensei que respondesse ao mesmo.A minha resposta foi colocada no fórum tal como o senhor solicitou.Tenho tentado que o pessoal no site seja mais activo,que se organize iniciativas,que sejam mais dinamicos mas o que infelizmente tenho constatado,é que cada vez mais se está a perder a essência do espirito Lanceiro.Sinceramente não sei o que se passa com este pessoal,parece que não têm orgulho naquilo que foram,são e serão para sempre:PE! Acho que no passado,a malta tinha mais orgulho na sua Especialidade,tinha mais disponibilidade para e se me permite a expressão,martelar a caçanhada pois caçanho era alvo a abater.Chegou ao meu conhecimento (embora não saiba a veracidade do mesmo) que o nosso glorioso "2" vai ser extinto e passar a albergar a UHSE da GNR.Se isso for verdade,só posso dizer que estes politicos de m.... não merecem a água que bebem pois não respeitam os Mortos em Combate que deram a vida para a dignificação de Portugal.Como o senhor diz e muito bem,os valores hoje estão desgastados quando outrora eram vividos com intensidade mas na minha modesta opinião,a partir do momento em que se acabou com o SMO e não desfazendo do pessoal que presta serviço nas fileiras,a vida militar com o seu brio ,com o seu orgulho,com o seu espirito de sacrificio,não é mais encarada como isso mesmo mas como um emprego onde se tem o salário no final do mês.Quantas das vezes na minha altura e tendo que apanhar o barco para o Barreiro,sentia o orgulho tremendo de entrar no mesmo e a caçanhada toda se calar só porque simplesmente ia ali um PE,ou então quando vinha de fim de semana colocava a boina na cabeça no nosso "2" e só a tirava em casa usando-a sempre com orgulho,ou então lembro-me de uma escolta ao RI 1 que fizemos e no bar de Praças do dito regimento,tinham uma norma que não serviam ninguém com a cabeça coberta nem dentro do mesmo se podia usar boina e queriam que nós tirassemos as nossas (o que não fizemos pois o soldado PE em serviço não tirava a boina para nada) e a caçanhada teve que nos servir.Tantas e tantas histórias e peripécias no melhor tempo da minha vida,pois o mesmo só é superado pelo nascimento da minha filha.Tenho orgulho de dizer fui,sou e serei Lanceiro até morrer e isso ninguém me pode tirar.Diz que continua na mesma,sinceramente espero que continue assim por muitos e muitos anos pois o Exército precisa de homens como o senhor:duros,rectos mas justos.
Um bem haja.

Resposta de Tcor Rui Seiça:
Esteves
É sempre fantástico falar de todos nós em períodos brilhantes.Sabes que a “massa” que aqui passa é também moldável. Embora em RV/RC. tem igualmente características que podem ser trabalhadas como outrora fazia-se. Aliás, a maravilha da natureza humana é que nos surpreende, e estes novos camaradas são efectivamente voluntariosos. O problema esta em nós, quadros permanentes do Exército Português. Ficamos reféns de valores que não resultam, nomeadamente em sociedades cuja mutação vertiginosa de valores é uma constante. Parece um paradoxo, os valores mudarem e a hierarquia manter os valores militares inalteráveis. Bem, eu acredito nisso, porque são aqueles que se basearão os outros mutáveis.Tenho procurado incutir estas ideias mas o valor e a imensidão dos meus camaradas do outro lado da barricada tem vencido e remetido a uma identidade muito própria e na retaguarda. Todavia, vou puxando-os à razão mas não é fácil.Quanto ao orgulho, Esteves ele está sempre presente mas momentaneamente apagado. Se antigamente o orgulho baseava-se na fomentação e pratica de valores militares e bastava. Agora tem que se acompanhado com a credibilidade através de competências, apetrechamento, provas dadas nos Teatro de Operações, etc. Nestes factores, por conhecimento prático, estamos precisamente na mesma do antigamente, agravado com a descrença dos valores militares.
Estamos no caminho certo, com a credibilização dos nossos quadros mediante formação continuada e através do Cmdt do Rl2 mover influencias em todas as direcções para alterar a posição da PE no Exército. Quanto às mudanças da instalações. Esteves, vai ser necessária e um salto qualitativo muito benéfico. Ninguém investe neste edifício secular porque pende sobre ele a sombra da saída. E isto já vem à longa data. Portanto, na minha opinião isto vem colocar um ponto final na morte anunciada, mas renascer novas condições que se exigem, conforme acima referi. Todavia, o processo tem que ser bem feito para ter resultados benéficos à PE. Tenhamos confiança, nas gerações vindouras.Devo referir que a tropa actual do GPE é tão boa como os de antigamente. Mas obviamente que tem que ser moldados. Temos aqui gentes de valor e agora mais instruídos. Novos, iguais a si próprios e aos valores de uma sociedade do Sec XXI. Mas temos que ser todos nós com responsabilidade na formação, criar os instrumentos, as praticas e as metodologias para leva-los aos valores militares de antigamente. Estou certo que conseguimos. Porém, temos que ser confiantes e sermos acarinhados pelos nossos pares. Para isso, lutamos todos os dias para que nos vejam e nos respeitem.Esteves, o pessoal daqui serve a soldo. Tem vantagens e inconvenientes. Mas quando eles sentem o gosto e a dureza de sangue, suor e lágrimas de outrora, eles respondem exactamente como vocês. Eu já vi isto e tive orgasmos. Acredita.
Quanto as nossas histórias é neste fórum criado pelo bolacha, por excelência que tu e eu e outros tantos coloquem, no blogue, tudo o que importa dizer, porque eles virão e juntos erguermos “sempre” a
Morte….até ao cumprimento do dever
A Glória, ……pela recompensa pelo dever cumprido
Ajudar a cumprir …….O Chefe EME
Rui Seiça
PS volta a colocar a tua resposta e se possível o que temos trocado entre ambos, e vais ver o que acontece….."

Por tudo isto,vai aqui a minha singela homenagem a este grande homem que é o Tenente Coronel Rui Seiça,Obrigado.

http://www.facebook.com/profile.php?id=100000751761196

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum